relato do meu parto

Dia 24.08.2016 às 21h35, nesse dia e hora me tornei completa, plena e senti novamente o maior amor do mundo. Lorenzo chegou, lindo, gordinho e saudável. Nesse post vou contar para vocês o relato do meu parto, uma cesariana humanizada.

 




 

Durante toda a gravidez eu me preparei para ter um parto normal. Era um sonho que eu queria muito realizar, o desejo de parir de forma natural, sem analgesia ou qualquer interferência. Na realidade essa era minha vontade desde a gravidez da Julia, mas como já contei para vocês no relato do parto dela (LEIA AQUI), tive que fazer uma cesariana às 38 semanas, pois ela estava com pouco líquido amniótico.

Com esse desejo de parto natural em mente, esperamos 38…39…40…41 semanas e nada de Lorenzo querer nascer. No meu plano de saúde, é conduta do hospital e dos médicos não esperar mais de 41 semanas para o nascimento, e ao chegar à essa idade gestacional, fui internada e lá pude optar se queria induzir o parto normal ou fazer uma cesariana. Como era minha vontade iniciamos a indução.

Dia 23.08.16, uma terça feira próximo da hora do almoço, iniciamos a ocitocina sintética na veia, um hormônio que ajuda a afinar o colo do útero e a dilatação, induzindo as contrações. Começamos com uma dose pequena e a cada hora ia dobrando a quantidade, até que eu entrei em trabalho de parto. Me recordo que era umas 18hs e iniciaram as contrações mais ritmadas, porém ainda leves. O tempo foi passando e a intensidade aumentando. Para auxiliar no processo de dilatação comecei a caminhar pelo corredor da maternidade, tomar banho quente, sentar na bola de pilates e ficar em posições que me sentia confortável. Procurei relaxar e esperar meu corpo fazer o que tinha que ser feito. Durante todo esse tempo tive o apoio da minha amiga Cacau Prado, que é doula, e mesmo longe não me deixou sozinha e o tempo todo conversamos e ela me acalmou e orientou. Obrigada amiga!

Às 21hs o meu marido chegou para me acompanhar no trabalho de parto, até então ele estava trabalhando e cuidando da Juju, mas à partir dali eu precisava dele, meu porto seguro. Parece que meu corpo estava esperando ele chegar, ou eu que me senti mais segura, e à partir dali o processo ficou “alucinante”, é estranha a palavra, mas é a única que encontrei para definir o que aconteceu. As contrações se ritmaram de vez, estavam muito intensas, e vinham a cada 5 minutos, durando em torno de 30-40 segundos cada. Comecei a encontrar formas de me manter confortável durante cada contração, meu marido foi testando formas de aliviar minha dor, e a massagem vigorosa na região das costas na hora da contração foi o que mais me ajudou.

Já não me lembro que horas era e fomos para o chuveiro quente,  e lá se iniciou a parte do meu trabalho de parto que eu não me lembro, sai de mim e fui para a partolandia. Só me lembro de estar no banheiro escuro, embaixo do chuveiro, hora na bola de pilates, hora em pé me apoiando nas barras ou na pia, com meu marido me massageando a cada contração, que agora vinha a cada 2 minutos e com a enfermeira obstétrica sentada ao lado, acompanhando a evolução do processo. Meu marido disse que eu realmente saí do ar, ele me perguntava as coisas e eu demorava em responder, estava mesmo fora dali. Me lembro apenas de estar concentrada, sentindo cada contração. A dor? É muito, muito forte! Uma cólica mais forte que qualquer uma que já senti na vida, mas é uma dor gostosa de sentir, pois sabemos que ela traz o melhor presente que podemos ganhar na vida.

Era umas 1h30 da manhã do dia 24.08.16 a enfermeira chamou o médico para me examinar, eu estava em um ritmo muito forte de trabalho de parto e precisávamos ver como estava a dilatação. Ele fez o toque e eu estava com 1cm apenas, e então ele me disse que seria melhor tirar a ocitocina, pois eu estava exausta e não iriam sobrar forças para passar pela parte final do parto se continuasse naquele processo. Me lembro que nesse momento comecei a voltar a mim, e parece que foi instantâneo, as contrações diminuíram, eu relaxei. Decidimos achar uma posição confortável para tentar descansar, afinal o dia seguinte seria longo. As contrações espaçaram e eu dormia entre cada uma delas. Umas 4h da manhã elas praticamente pararam e eu descansei.

 




 

Na manhã da quarta-feira o novo plantonista veio me examinar. Estava com 2cm e o Lorenzo tinha encaixado, me animei! Ele me disse que achava que podíamos tentar uma outra forma de engatar o trabalho de parto novamente que não fosse a ocitocina, e como eu sabia que se voltasse pra ela seria muita dor, optamos por fazer o descolamento da bolsa no colo do útero. Pensa em uma dor! Quase quebrei a mão do marido apertando, mas passou. Demorou umas 4 horas e as contrações voltaram, ainda com um ritmo bem leve. Caminhamos pelo hospital, tomamos banho, mas ela ainda não tinha ritmado.

Umas 18hs o médico me examinou novamente, estava com quase 4cm, mas as contrações pareciam não evoluir. Eu precisava delas para dilatar. Esperamos, caminhamos mais, mudou o plantão dos médicos novamente. Estava caminhando no corredor quando vi que o plantonista era o meu médico de pré natal, me senti segura, sabia que ele me conhecia e ia fazer o melhor para mim e para o Lorenzo. Ele me examinou e estava ainda com os 4cm, era 20h30, quase não tinha mais contrações e estava exausta. Ele me disse que já estava há 36hs induzindo o parto, e que ele só poderia esperar mais 12hs, para evitar que o Lorenzo pudesse passar por muito stress. Decidimos esperar mais um pouco e ele foi atender outras pacientes.

Voltei para meu quarto e naquele momento desabei, eu estava exausta, não dormia desde segunda para terça, estava morrendo de saudade da minha filha, queria que terminasse logo. Nesse momento pensei que poderia ficar mais uma noite sem dormir, e na manhã seguinte ainda não ter dilatado o suficiente. Chorando muito fui confortada pelo meu marido, de que fui guerreira, que já tinha tido a experiência do parto normal, mesmo que sem chegar ao final, e que não haveria problema algum em desistir, eu estava realmente exausta. Chamei a enfermeira e decidi que queria cesariana, mas que já que tinha passado por tudo aquilo, gostaria que ela fosse feita de forma humanizada, aquela em que ao nascer o bebê vem direto para meu colo e que mama nos primeiros minutos de vida.

E assim foi, descemos para o centro cirúrgico e às 21h35 ele chegou, pesando 3,835kg e 51cm, Lorenzo nasceu em uma cesariana humanizada, linda, emocionante e a sensação de paz e dever cumprido me fez relaxar. Assim que os médicos tiraram ele da barriga eu peguei ele entre os panos que me cobriam, ele veio todo sujinho de vernix, com um choro delicioso e ao ouvir minha voz abriu os olhos e olhou direto pra mim, parando de chorar. Chorei muito, foi incrível, um amor avassalador e inexplicável tomou conta de mim. Lorenzo chegou, ele chegou!! O médico esperou o cordão parar de pulsar e cortou, e então a enfermeira levou ele para o pediatra fazer os primeiros cuidados, e em 2 minutos ele voltou para mamar. Que sensação incrível! A natureza realmente é perfeita, ele mamou por uns minutinhos e então era hora de subir para o berçário para eu me recuperar da anestesia.

Depois de 1h30 eu já estava novamente com ele no quarto, e à partir daí não nos separamos mais, eu e meu príncipe, meu segundo filho, que amo tanto quanto a Julia, um amor imenso, que não cabe no peito, que não dá pra explicar, só é bom demais de sentir.

Tem tanta coisa pra contar ainda pra vocês sobre o que vem depois, mas aí já é assunto para outros posts. Com tudo que passei sei que foi do jeito que tinha que ser, não tive meu parto natural tão sonhado, mas não me arrependo de ter feito a cesariana, afinal, o final foi o mesmo, tive meu filho em meus braços saudável, e é o que mais importa.

Espero que eu tenha conseguido passar para vocês nesse relato um pouco do que senti naquele dia, o segundo dia mais feliz da minha vida, o dia em que minha família ficou completa.

 

 

 

 

Compartilhe

Deixe um comentário

54 Comentários em "Relato do meu parto: Lorenzo Chegou!"


Visitante
Cristiane
9 meses 3 dias atrás

Parabéns e muita saúde…

Visitante
Marí Macêdo
9 meses 5 dias atrás

Saindo do youtube direto para blog. Chorei com o relato( coisas de mãe). Parabénsss!

Visitante
juliana ruiz
9 meses 6 dias atrás

Meu parto tambem foi bem parecido porem nao pude amamentar minha filha!tudo que a de mas maravilhoso para vcs que Deus os abençoe a cada dia mais

Visitante
Sandra paixão ribeiro
9 meses 6 dias atrás

Que lindo foi o seu parto muito emocionante…parabéns o Lorenzo e lindo!!!

Visitante
Vick
9 meses 6 dias atrás

Lindos vcs,me emocionei com seu relato,cuide dele como cuida da juju,e dará tudo certo,vc tem me ensinado muito,eu estava sem vontade e motivação pr cuidar das minhas coisas,estou vendo seus vídeos e estou muito melhor,obg.