Olá meu nome é Elza Ruivo, e é com muito prazer que começo a participar como colunista aqui no blog falando sobre aleitamento materno! Falar desse tema é falar do meu amor maior na área da fonoaudiologia. Mas o que a fonoaudiologia tem a ver com a amamentação? É o que vamos descobrir hoje no primeiro post da coluna Papo de Fonoaudióloga.

 

A fonoaudiologia é a área da saúde que tem a preocupação de promover a saúde da comunicação, portanto volta sua atenção a todos os aspectos que influenciam a aquisição e o desenvolvimento da fonoarticulação, linguagem e audição.

 

A amamentação representa, além de seus aspectos nutricionais, imunológicos e psicológicos; um ato de comunicação visual, corporal e auditivo entre mãe e bebê. No momento em que o bebê está sendo amamentado, está ocorrendo a estimulação necessária para um bom desenvolvimento da fala, linguagem e audição, sendo que as condições de saúde e ambientais também são fatores importantes nesse processo.

 

Audição

O desenvolvimento da função auditiva se inicia na gestação e se estende por um longo período influenciado por diversos fatores, entre eles a amamentação. Ao sugar o seio materno o bebê estimula uma série de estruturas; favorecendo assim a saúde e o bom funcionamento desse sistema. Além disso, o leite materno devido a seu potencial imunológico previne infecções. Otites recorrentes podem afetar o desenvolvimento de habilidades auditivas.

 

Linguagem

As situações de diálogo mamãe e bebê que ocorrem na amamentação são extremamente importantes para a estimulação da linguagem. A importância da variação da entonação e altura vocal facilita para o bebê a captação do significado do que está sendo dito. A compreensão do bebê antecede a emissão, desse modo a comunicação se inicia muito antes das primeiras palavras.

 

Fonoarticulação

O processo de fonoarticulação, que vai desde a emissão vocal até a sequencialização dos fonemas, parte dos movimentos respiratórios e envolve uma série de estruturas do sistema estomatognático, o aleitamento materno tem grande influência no bom desenvolvimento dessas estruturas e suas funções – sucção, respiração, deglutição, mastigação e postura – dessa forma, a amamentação pode ser vista como estímulo ao crescimento facial do bebê.

 

A Fonoaudiologia tem realizado intervenções no pré e pós-natal, aplicando orientações gerais: tipos e formas de aleitamento, amamentação exclusiva, estimulação de linguagem, fala, audição; atuando junto a bebês e mães, em hospitais, ambulatórios e consultórios. O fonoaudiólogo incentiva, apoia e protege o aleitamento materno.

 

Elza Ruivo é Fonoaudióloga Clínica atuando com crianças e adultos. É graduada em Fonoaudiologia e Pedagogia. Possui Curso de Extensão em Fonoaudiologia em Unidade de Terapia Neonatal; cursos na área de Motricidade Orofacial; Cinesiotape Neuromuscular e Atenção Humanizada ao Recém Nascido de Baixo Peso- Método Canguru. É autora do perfil no instagram @fonoelzaruivo.

Compartilhar:

 

0 0 votes
Article Rating
guest
1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ida Zaslavsky
Ida Zaslavsky
5 anos atrás

Parabéns pela iniciativa. Saber disso multiplica o cuidado amoroso e preventivo com o desenvolvimento do ser. Um abraço.