Outubro Rosa é o mês mundial da prevenção do câncer de mama, e por isso não podíamos deixar passar em branco, até porque ontem, 19 de outubro de 2015 foi o dia internacional contra o câncer de mama. Hoje na coluna Papo de Nutricionista escrita pela Nutri Angélica Padilha falaremos um pouco sobre o assunto.

 

Já é sabido que quanto menos informação as mulheres recebem sobre a prevenção do câncer de mama mais chances elas têm de morrer em consequência da doença, pensando nisso, o papo de hoje será sobre esse tema.

 

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. É a quinta causa de morte por câncer em geral (522.000 óbitos) e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

 

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença variam entre idade, fatores endócrinos/história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais (ingestão de bebida alcoólica, sobrepeso e obesidade após a menopausa e tabagismo) e fatores genéticos/hereditários.

 

De modo geral, a prevenção baseia-se no controle desses fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles considerados modificáveis. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama. A amamentação também é considerada um fator protetor.

 

E a nutrição ganha destaque na prevenção através dos agentes quimiopreventivos encontrados nos alimentos funcionais com múltiplos mecanismos de ação, que bloqueiam a carcinogênese. Os ácidos graxos poliinsaturado ômega 3, fibras, algumas vitaminas e minerais, e os fitoquímicos ganham destaque neste quesito!

 

Compartilhem suas experiências! Quero saber quem aqui faz o auto exame e cuida da alimentação. Mais consciência meninas!!

 

outubro rosaAngélica Padilha de Brito é Nutricionista sob o CRN 35786, Graduada em Nutrição e pós graduada Nutrição Clínica Funcional. É Membro do Instituto Brasileiro de Nutrição Funcional, Palestrante na área de Nutrição e Qualidade de vida e Autora do projeto Chega de Adiar no facebook e do perfil no instagram @nutriangelicapadilha.

 

Compartilhar:

 

0 0 votes
Article Rating
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments