amamentação

 

Amamentar, ta aí uma coisa que eu AMO fazer, mas que dessa vez (com o Lorenzo) eu tive que reaprender. Quando ouvimos falar de amamentação, geralmente vemos Mães dizendo que é delicioso, que o vínculo é incrível, que é uma delícia… sim, tudo isso é verdade mesmo, porém existem algumas coisas que ninguém conta sobre a amamentação, e hoje vou dividir algumas delas com vocês.

 

Eu amamentei a Julia até 1 ano e 3 meses quando ela praticamente desmamou sozinha (tem relato AQUI), confesso para vocês que foi bem tranquilo e não tive praticamente nenhum problema, exceto uma fissura no início. Com o Lorenzo foi e está sendo completamente diferente, não tive fissuras, mas em compensação estou há mais de um mês lutando para manter a amamentação exclusiva dele.

 

Vou listar abaixo algumas coisas que tenho aprendido com a amamentação que ninguém me contou (e nem eu sabia mesmo tendo já amamentado antes), e que fique claro que eu amo amamentar, e o farei até quando eu conseguir ou ele quiser.

 

1. Meninos mamam muito mais que meninas

Gente, o que é isso!?!? Eu nunca vi um bebê mamar tanto na minha vida!! Com a Juju geralmente era de duas a três horas a mamada, mas com o Lorenzo, o máximo que ele fica sem mamar é 1h30 e ainda resmungando muuuito (exceto quando está dormindo, claro). Eu não sei se existe alguma explicação pra isso, mas na prática, é isso mesmo que acontece. Se você teve essa experiência já, comenta aqui embaixo se também foi assim, e se você está grávida de um menino… hehehe se prepara.

 

2. Seu leite vaza quando você menos espera

E geralmente quando você não está em casa e esqueceu de colocar absorvente de seios! Demora uns 2 meses para a produção de leite estabilizar, até lá, esteja sempre preparada para acidentes. Uma dica legal é sempre colocar na bolsa do bebê uma blusa para você também.

 

3. Fissuras doem demais, mas você vai ter que conviver com elas no inicio

Quase todas as mulheres que amamentam tem fissuras nos seios no começo, é normal! A diferença é que algumas tem menos e outras mais, e que às vezes machuca tanto que sai até sangue quando o bebê vai sugar. Dói bastante, mas sara com o tempo. O importante é sempre, desde o nascimento, ficar atenta à pega do bebê, se ele pegar seu peito de forma errada, vai doer e vai machucar. Por aqui o que ajudou bastante na cicatrização quando eu tive fissuras foi a concha de amamentação e pomada de lanolina.

 

4. Quando seu filho descobre que há vida fora do peito, amamentar fica mais difícil ainda

Ah, o momento que eles descobrem o mundo… tão lindo né?? O “problema” é que eles ficam tão fissurados em explorar que começam a largar o peito para olhar o que está acontecendo à sua volta, então, não se surpreenda se entrar um comercial na TV e seu filho se jogar pra trás para assistir. O ideal é nessa fase pelo menos, procurar amamentar em lugares mais calmos e sem distrações para eles.

 

5. Você pode sim ficar com pouco leite, mas nunca com “leite fraco”

Já cansei de ler especialistas em amamentação falando que não existe leite fraco, mas confesso que vi muito pouco sobre diminuição do leite, porque sim, ele pode diminuir sem nenhum motivo aparente, e isso vai deixar o seu bebê bem irritado, pois ele vai querer sugar e não vai conseguir “encher a boca” como era acostumado. Isso aconteceu por aqui com o Lorenzo, e vou falar pra vocês, é desesperador não saber o que fazer para continuar amamentando. Descobrimos que minhas intuições de que isso estava ocorrendo eram verdadeiras na consulta de 3 meses, e então o pediatra me orientou com o próximo tópico abaixo.

 

6. Existem medicamentos que podem te ajudar na amamentação

Sim, quando o leite diminui ou até demora a descer, existem medicamentos que podem ajudar! O mais engraçado é que nenhum deles é exatamente para isso (estimular a prolactina), são medicamentos para outros fins, como problemas de estômago, que estimulam a produção do hormônio e aumentam o leite. Eu estou usando um desde então, e foi ele que salvou a minha amamentação. Converse com o seu pediatra sobre o assunto caso venha a acontecer com você, e faça essa tentativa antes de desistir de vez da amamentação, eu garanto que funciona e vale a pena.

 

7. Para se ter sucesso na amamentação não basta apenas querer

Não adianta apenas a gente querer e sonhar amamentar nosso filho, existem vários fatores que podem atrapalhar e que fazem não dar certo às vezes. Eu concordo com a frase que “você não é menos Mãe por não amamentar seu filho”, mas também concordo que é preciso muita, muuuuuita força de vontade e determinação para seguir em frente com uma amamentação exclusiva por pelo menos 6 meses. Sou prova viva disso, só eu sei quantas vezes pensei “ah, deixa pra lá, vou dar fórmula”, mas depois pensei o quão importante é esse leite cheio de anti corpos no início, o quanto é prático amamentar e como é prazeroso esse vínculo com o bebê.

 

8. Acordar de madrugada pra amamentar te torna um zumbi

Ahhh, isso é fato. A gente vira um zumbi tão zumbi que às vezes até esquece se acordou e amamentou o bebê. A gente entra depois de um tempinho no piloto automático, e faz tudo até meio dormindo, chega a ser engraçado. Que atire a primeira pedra a Mãe que nunca dormiu amamentando o bebê na madrugada… Ah eu já, e não foi só uma vez. O cansaço é tanto que a gente dá um jeitinho de “travar” o bebê ali no colo e dá aquela cochilada.

 

9. Seu filho pode (e vai) te morder mesmo sem ter dentes

Gente, essa é pra acabar com qualquer alegria. Mordidas doem, muito!!! A diferença entre a com dente e sem é que com dente dói mais e pode até cortar o seu seio. A Julia me mordeu algumas vezes e eu sempre olhava séria pra ela (depois de gritar de dor, claro) e falava que não pode morder a Mamãe… um dia ela entendeu kkkk. O Lorenzo está começando com essa “mania” agora também, mas até ele entender o que é não pode, a forma que achei para lidar com isso é tirando ele do peito quando ele morde, assim ele associa o ato com minha reação. Não sei se vai funcionar, mas a gente tenta né?!

 

10. Sim, você sente preguiça às vezes

Você está num soninho bom e de repente “buááááá” hora do mamá, quero ver quem nunca sentiu preguiça de levantar. Sim, a gente tem preguiça às vezes e é totalmente normal sentir isso. Um bebê amamentado só pode ser alimentado por você, então você praticamente tem que viver “grudada” nele por uns meses, mas com o tempo as mamadas vão espaçando e você consegue uns minutinhos de descanso a mais.

 

Espero que vocês tenham gostado desse post, eu escrevi com muito carinho relatando coisas que aconteceram comigo e que podem vir sim a acontecer com você também, mas que nunca ninguém me contou antes de amamentar. Mas sabe, mesmo com todas as dificuldades e com todas essas “coisinhas” sentir e ver que algo que sai de mim nutre o meu filho é extraordinário, é apenas com o meu leite que ele se mantém vivo, que ele cresce, engorda e se desenvolve, e isso me enche de orgulho e me dá forças pra lutar todas as batalhas que a amamentação tem me trazido com o Lorenzo. Se vou conseguir ir até o fim, não sei, mas que eu vou tentar, ah, isso eu vou!!

 

Não esquece de deixar seu comentário aqui abaixo, vou adorar ler e compartilhar experiências com vocês.

Um super beijo, e até a próxima!!

 

 

Compartilhar:

 

0 0 votes
Article Rating
guest
11 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ana Paula
Ana Paula
5 anos atrás

Ola Jenny
post maravilhoso, uma dica para produçao de leite é tomar agua inglesa, isso resolveu comigo..mas o que mais eu sofri foi o empedrar do leite e fissuras sem fim..mas nunca desisti e acho super normal essa queda de amamentaçao eu tbm passei por isso..mas sempre oferecia o peito com insistencia ate que voltou tudo ao normal.amamentar é ato de amor. bjs

Bruna Loureiro
Bruna Loureiro
5 anos atrás

Olá Jenny linda… já assistia seus vídeos, mas agora no trabalho consigo ler seus posts no blog e estou amando, estou viciada nas suas dicas. Sobre o assunto acima realmente foi tudo o que aconteceu comigo quando tive minha Laurinha há dois anos atrás, realmente são ótimas dicas, principalmente em relação ao remédio que podemos tomar para aumentar a quantidade de leite, se eu soubesse na época seria muito diferente e eu não tinha me frustado, mas mesmo assim consegui amamentar até os 6 meses e meio e me sinto muito orgulhosa por isso, pq apesar de ser maravilhoso é bem difícil, precisa de muito empenho da mamãe e claro sempre o apoio do papai.
Um grande bj e torço cada dia mais por você e sua família linda. S2

Rosana
Rosana
5 anos atrás

Bom dia Jenny! Me identifiquei com seu post, aqui em casa amamentar tem sido um drama. Tenho a Laís de 5 meses e desde os 3 tá complicado amamentar, faz birra, suga pouco, puxa bico, morde, parece até q fica com raiva do peito, sofro muito porque a minha primeira não tive nenhum problema, super tranquila. Na consulta de 4 meses ela até perdeu peso ficou -2 na tabela, a médica quis entrar com a fórmula mas estou insistindo com peito, dou um primeiro a hora q ela começa com a birra dou o outro, é assim percebo q ela está mamando melhor, as vezes chega até soltar leite.Tenho percebido que aos poucos ela está parando com as birras, está semana vou na consulta de 5 meses então vou saber se ela ganhou peso e ficou dentro dá tabela?

Leydiane
Leydiane
5 anos atrás

Lindo o post! Eu tenho dois filhos e amamentei os dois. Os dois são meninos e mamavam muito!!! O primogênito mamava de uma em uma hora!!
Eu tomava mate com leite para aumentar a produção de leite e dava certo.
Um grande beijo! ?

Priscilla Oliveira
Priscilla Oliveira
5 anos atrás

Oi, Jenny! Sou prova viva de que amamentar deveria ser algo melhor preparado quando engravidamos. Me preparei pro parto normal, pra dor…mas não pra dor da apojadura (quando o leite desce). Sofri muito nesse período porque tinha muito leite (tive hiperlactação). Lanolina ajudou (comecei a passar antes do parto) e fissuras não foram problema. O problema foi empedramento mesmo pelo excesso de leite. Não dormir pra mamar não foi problema também, porque aqui o meu menino era guloso e de fato, ele não ficava menos que 40 minutos sem mamar. Eu era um zumbi.
Mas aos 5 meses tudo estabilizou e quando aderi à cama compartilhada aos 3 meses ficou mais fácil amamentar (ele ja tava ali, era só por a teta pra fora). A hiperlactação controlou aos seis meses (ate os 5 eu ordenhava de tempos em tempos).
O que ajudou na amamentação foi não dar chupeta. Com isso, o bebê mamava mais, sugava mais e produzia mais leite. Mas dei chupeta aos 3 meses dele (apenas pra dormir) e segue até hoje. No meu caso, a chupeta também ajudou no controle da hiperlactação. Ivan tem hoje 1 ano e 2 meses, quase. Ainda mama e como mama. Meninos são mais gulosos, creio.
Quanto ao remédio para aumentar a produção de leite, eles possuem muita contra indicação, muita. Primeiro de tudo é retirar qualquer bico da rotina do bebê (chupeta, mamadeira), porque é o aumento da sucção dele que faz seu organismo entender que vc precisa produzir mais leite. Esses remédios são recomendados em casos isolados e com um histórico que envolva necessidade. Existe um grupo chamado GVA – Grupo Virtual de Amamentação e eles apoiam e estimulam todas as mães que queiram amamentar de todas as formas. Procura no Facebook ou o blog deles.
Eu amo amamentar, mesmo com todas as restrições que passo (Ivan é APLV e eu tive que cortar o leite da minha alimentação tb). Por aqui quero seguir amamentando até ele ter dois anos, pelo menos.
Cheguei a falar sobre o assunto no meu blog também. Se você quiser (vou ficar muito feliz) dá um pulinho lá: http://www.blogdapriscilla.com/2016/03/relato-da-amamentacao.html

bjs pra vc e sua família linda!